• Jubileu de Diamante

A Bem-aventurada Virgem Maria Mãe de Deus



A realidade de ser Bem-aventurada a Virgem Maria como Mãe de Deus, orientou os Padres conciliares, do Vaticano II, a retomar, na Constituição Dogmática Lumen Gentium sobre a Igreja, a missão de Maria no mistério do Verbo Encarnado e do seu Corpo Místico. Maria é Mãe de Cristo e nossa Mãe!


Maria é agraciada! Lembra-nos o Concílio que ela, na Anunciação do Anjo, “recebeu o Verbo de Deus no coração e no corpo e trouxe ao mundo a Vida.... Em vista dos méritos de seu Filho foi redimida de um modo mais sublime e unida a Ele por um vínculo estreito e indissolúvel, é dotada com a missão sublime e a dignidade de ser Mãe do Filho de Deus, e por isso filha predileta do Pai e sacrário do Espírito Santo” (LG 53).


Tornar-se Mãe de Jesus foi a missão dada pelo Pai à jovem Maria. Com o Sim da Virgem, “enviou Deus o seu Filho, nascido de uma mulher, ... a fim de que recebêssemos a adoção filial” (Gl 4,4-5). Cristo se fez Homem de Maria Virgem. E, ao assumir verdadeiramente a nossa carne, o Verbo de Deus, entra com sua divindade na nossa história humana e a diviniza. Assim, ao dar à luz o Verbo encarnado, Maria se tornou porta de salvação.


Maria é a Bem-aventurada! Não o é por méritos próprios; mas, pelo “dom de graça exímia que supera de muito todas as outras criaturas, celestes e terrestres. Mas ao mesmo tempo está unida, na estirpe de Adão, com todos os homens a serem salvos. Mais ainda: ‘é verdadeiramente a Mãe dos membros (de Cristo)... porque cooperou pela caridade para que na Igreja nascessem os fiéis que são os membros desta Cabeça’... E a Igreja Católica, instruída pelo Espírito Santo, honra-a com afeto de piedade filial como mãe amantíssima” (LG 53).


Estas e outras verdades sobre Maria, a Mãe de Jesus, são colhidas pelo Magistério, por meio de seu vasto conjunto de reflexões, daquilo que o Espírito Santo confia como Revelação à Igreja. O Magistério garante-nos a genuinidade das verdades reveladas; é como fonte riquíssima dos bens dispensados à Igreja. Beber desta fonte significa, para os fiéis católicos e pessoas de boa vontade, saciedade da sede de verdade colocada por Deus no coração de sua criatura amada que somos nós mesmos. No decorrer do Ano Mariano Missionário percorreremos um caminho de proximidade à Mãe de Deus. A luz do Magistério nos iluminará na estrada a ser percorrida neste Ano Mariano da Arquidiocese de Goiânia.

 

IR. SUELI CLAUDIA DE ARAÚJO 
IRMÃS DO INSTITUTO CORAÇÃO DE JESUS


Cúria Arquidiocesana

Praça Dom Emanuel, s/n°, Centro. Goiânia-GO - Caixa Postal 174 – CEP: 74001-970
Fone: (62) 3223-0756