• Jubileu de Diamante

A Epifania

 Goiânia,04 de dezembro de 2016, às 10h20.

 

Entenda o Significado

 

“Epifania” é uma palavra que tem dois sentidos. É usada para a percepção súbita e profunda a respeito de alguma realidade, mas também para a manifestação da essência daquela verdade. “Epifania” não é apenas o nome de uma festa litúrgica da Igreja Cristã, mas é algo que tem acontecido constantemente ao longo da história e que continua acontecendo.

São Mateus relata a história dos magos e como eles viram uma estrela. Apesar da tradição da folia dos reis, os magos não eram reis, eram sábios. O fato de que eles viram uma estrela não impressiona muito porque qualquer um pode ver uma estrela, mas o fato de estarem olhando para cima mostra que eram verdadeiramente sábios.  Eles viram a estrela como um sinal de que o homem não existe simplesmente para comer, beber e procriar como qualquer inseto ou animal. Existe uma outra realidade atrás desse mundo visível: um mundo diferente, mas que pode ser percebido através deste mundo.

Eram pessoas religiosas, pois não acreditavam apenas no que viram. Pessoas que não são muito religiosas têm que ver para acreditar, mas os magos acreditavam poder ver além do visível. O que se vê, para eles, era um questionamento convidando-os a iniciar uma nova caminhada. Não sabemos exatamente porque deixaram tudo para iniciar aquela caminhada, mas devem ter esperado encontrar algo diferente, um mundo mais justo e fraterno, um mundo que tem mais sentido. E é claro que eles não esperavam encontrar essa nova realidade num livro erudito ou num sistema ou teoria política, social ou psicológica que pudesse resolver os problemas do velho mundo em que nós continuamos vivendo, mas estavam procurando uma pessoa. E nisso eles eram realmente sábios, porque a salvação só pode vir através de uma pessoa.

Se não tiver uma pessoa responsável, o hospital com os melhores equipamentos do mundo nada adianta diante de uma doença; da mesma forma a escola bem equipada não faz nada sem pessoas dedicadas e interessadas nos alunos. A criança abandonada só pode ser salva se tiver alguém que lhe diga: “Eu me comprometo com você”.

E é assim que Deus se comprometeu conosco por meio da manifestação durante a vida humana de seu Filho, Jesus.

Provavelmente qualquer pessoa deve ter percebido, pelo menos uma vez na vida, a presença de Deus em sua vida. Muitas vezes acontece através da celebração de um Sacramento, outras vezes através do reconhecimento de que ninguém é dono de sua própria vida numa situação de fragilidade. Às vezes ocorre simplesmente quando alguém, longe das luzes artificiais da cidade, olha para as estrelas, ou quando no seu dia a dia ela percebe a dedicação de outra pessoa. Nessas situações, cada um pode, de uma maneira súbita e inesperada, perceber a majestade, o amor ou a compaixão de nosso Deus e começar uma nova caminhada na direção que Deus lhe indicará. Mas também pode lhe faltar essa sabedoria.

Os magos procuravam o recém-nascido Rei dos judeus, mas encontraram o rei Herodes.  O rei chamou os escribas e sumo-sacerdotes, peritos no conhecimento das escrituras e da Lei de Moisés, para saber onde encontrá-lo. Mas nem ele e nem os seus conselheiros fizeram a caminhada necessária feita pelos magos para encontrar o autor da nossa fé. A Festa da Epifania nos convida a abrir os nossos olhos e perceber a presença e o amor constantes de Deus em nossas vidas. 

Monsenhor João Daiber

Pároco da Paróquia São José, Setor Sul


Cúria Arquidiocesana

Praça Dom Emanuel, s/n°, Centro. Goiânia-GO - Caixa Postal 174 – CEP: 74001-970
Fone: (62) 3223-0756